Sites Grátis no Comunidades.net

Alcoólicos Anónimos Grupo 1 de Maio


TAGSAlcoolismo alcoolismo alcoólicos anónimos alcoolicos anónimos drogas solidão solidão depresão depresao angustia, ajuda, aa a.a AA grpos grupos auto ajuda auto-ajuda passos tradições tradicoes ajuda on line médicos clínicas medicas homens mulheres jovens consumo noites festas coragem coragem de mudar sapo Iol clix aeiou bela cena belacena centros cral.cras centros de tratamento Lisboa porto espinho Algarve ferias condução policia acidentes efeitos ALCOOL Benfica Sporting porto acores AÇORES madeira ilha ilhas Áreas AREAS parar de Beber so por hoje só alegrias tristezas comprimidos medicamentos drunfos efeitos efeitos de drogas dependências miséria relacionamentos casamentos divórcios filhos família famílias CHAT NOS
Total de visitas: 152431
História de AA em Portugal

As origens de AA em Portugal são bastante obscuras, visto os primeiros membros não terem deixado quaisquer relatos ou testemunhos escritos sobre esse período. Sabe-se, todavia, que antes de Abril de 1974 já havia membros de AA em Portugal.
Alcoólicos Anónimos parece ter sido introduzido em Portugal por um inglês residente em Lisboa que entrara em contacto com AA durante uma desintoxicação no seu país de origem. De regresso a Portugal, transmitiu a mensagem de recuperação a um velho amigo “dos copos”, o arquitecto Guilherme S., a quem contou como conhecera AA e como deixara de beber. Guili, como era conhecido o arquitecto, deixou igualmente de beber, começando os dois a reunir-se regularmente, ora em casa de um, ora em casa do outro. Desde logo começaram a ajudar outros alcoólicos, o que levou à divulgação, ainda que em pequena escala, do programa de recuperação de AA em Portugal.
Embora de um modo incipiente, AA já criara raízes sobretudo em Lisboa. Todavia, na tentativa de descrever as origens de AA em Portugal de um modo estruturado, fez-se uma consulta aos arquivos do Escritório de Serviços Gerais de Nova Iorque, que produziu os seguintes resultados em termos de Grupos registados.

1956
Em 1956, sabe-se que o número total de membros de AA registados no E.S.G. de Nova Iorque era de 2.

1957-1972
De 1957 a 1972 os registos referem-se a Grupos de língua inglesa de 2 a 12 membros, distribuídos entre Lisboa e a Base das Lajes.

1972
De 1972 a 1977 os Grupos registados no E.S.G. de Nova Iorque têm a ver exclusivamente com membros solitários e com o Grupo então designado “Grupo Internacional de Lisboa” do Corpo Santo.
Com efeito, em 1972 veio para Portugal, oriundo do Brasil, um inglês chamado Reg W., que começou a fazer reuniões regulares na sala do Corpo Santo em Lisboa. Crê-se que foi este o primeiro Grupo oficial de AA no nosso país e que teve o nome de Grupo Internacional de Lisboa. Reg foi assim o verdadeiro fundador do Grupo do Corpo Santo, embora tenha sido praticamente um solitário durante muitos anos.

1975
Em 1975 veio para Portugal um membro de AA de nacionalidade norte-americana chamado Ed L., tendo começado desde logo a divulgar a mensagem de AA em hospitais (nomeadamente na Casa de Saúde do Telhal), junto de associações voluntárias e de alguns médicos. Por intermédio do Dr. Aires Gameiro, Psicólogo Sacerdote da Casa de Saúde do Telhal, principiou aí a fazer reuniões para os internados. Começaram assim a aparecer os primeiros membros de AA de língua portuguesa, não obstante nenhum deles ter alcançado a sobriedade. As reuniões eram conduzidas em inglês, tendo Ed o cuidado de fazer a tradução para português.

1978
Em 1978, Ed passou a mensagem de AA a um português, Jorge L., que parou de beber e começou a acompanhá-lo nas visitas ao Telhal. Começaram então a aparecer os primeiros A.A.s portugueses no Grupo Internacional do Corpo Santo.
Em Outubro de 1978, os Alcoólicos Anónimos de Lisboa marcaram presença no VI Congresso de Psiquiatria Social com uma banca de literatura e de informação sobre AA, estando presentes quatro membros de AA. Ed L. deu aí o seu testemunho sobre o programa de recuperação de Alcoólicos Anónimos.
Pouco depois do referido congresso, Norman, outro membro solitário residente no Porto fundou em 1978 com Argentil S. o Grupo de AA do Porto. Entretanto, Ed L. deixou Portugal, tendo sido ele que lançou a semente que fez germinar AA a nível nacional.
Entretanto, em Portimão, no Algarve, já existia um Grupo de AA de língua inglesa, registado pela primeira vez em 1977 no E.S.G. de Nova Iorque, que tentou sem êxito levar a mensagem de AA aos alcoólicos portugueses do sul.
Com a partida de Ed L., Jorge L. continuou a visitar a Casa de Saúde do Telhal e a partilhar a sua experiência de recuperação com os internados, trabalho este que teve sempre o apoio do Dr. Aires Gameiro e do Dr. Pistachini Galvão. O primeiro falava do programa de Doze Passos de AA nas sessões de grupo e incitava os doentes a lerem a Literatura de AA.

1979
Em Junho de 1979 foi oficialmente criado o Grupo de AA do Corpo Santo com reuniões que se passaram a realizar às segundas e quintas-feiras às 21 horas.
Em Novembro de 1979, na Primeira Reunião Ibero-americana de AA, o Brasil decidiu apadrinhar o movimento em Portugal, enviando convocatórias para as reuniões seguintes (em 1981 e 1983 respectivamente) a dois companheiros de Portugal e mantendo correspondência com eles. Este apoio teve essencialmente a forma do envio de literatura gratuita para abertura de novos Grupos com a isenção de pagamento de portes nas encomendas de literatura feitas de Portugal.

1984
Em 1984 o Grupo de AA do Corpo Santo tomou novo alento com a adesão de novos membros trazidos por familiares ou por indicação de médicos amigos de AA, entre os quais o Dr. Leitão de Barros, os psicólogos Dr. Aires Gameiro e Dr.ª Margarida Cordo e, desde 1985/86, o Dr. Joaquim M. Carrilho.

1989
Em 1989 criou-se em Portugal a primeira estrutura rudimentar de serviços de AA, integrando os então Grupos de Lisboa e arredores. A integração destes Grupos numa estrutura comum através dos então representantes de Intergrupo pretendia assegurar os serviços básicos de AA, nomeadamente os de literatura, telefone, hospitais e pouco mais. Uma das primeiras preocupações foi a tradução para português europeu da Literatura AA aprovada em conferência, visto muitos A.A.s terem dificuldade em se identificar com certas expressões brasileiras. Percebeu-se desde logo que a base da recuperação tinha de assentar no programa de recuperação de AA como descrito na literatura, começando, por conseguinte, a traduzir-se os folhetos básicos e, posteriormente, o texto básico de Alcoólicos Anónimos, que foi editado e publicado pela primeira vez em Portugal em 1994.
A experiência do Intergrupo de Lisboa criou a nítida consciência de que a estrutura de serviços, por mais elementar que fosse, tinha de ser alargada aos restantes Grupos do norte de Portugal, sob pena de serem os Grupos de Lisboa a tomar decisões por AA no seu conjunto a nível nacional.

1990-1995
A ideia de aproximação e de partilha de experiências de todos de AA de Portugal abriu caminho, em 1992, para a 1ª Convenção de âmbito nacional de AA, subordinada ao tema “Unidade para crescer” que, pela primeira vez, contou com a participação de A.A.s dos Grupos então existentes no país. Pouco tempo depois, em 1993 foi criado o Intergrupo do Norte** à semelhança do de Lisboa. Depois das experiências dos intergrupos de Lisboa e do Porto, das primeiras quatro convenções de AA em Portugal (duas no distrito de Lisboa e duas no Norte) e de algumas reuniões e fóruns de serviço que fortaleceram a unidade comum, bem como a partilha de experiências entre todos, os Grupos de Alcoólicos Anónimos existentes em Portugal decidiram criar uma Assembleia de Representantes, que funcionou em 1994 e 1995.
Entretanto, os Alcoólicos Anónimos de Portugal foram convidados formalmente a participar na Reunião Europeia de Serviço, embora não dispusessem ainda de meios de auto-suficiência. Dois delegados europeus de Portugal passaram a integrar regularmente a Reunião Europeia de Serviço a partir de 1989, não obstante dois membros de AA já terem participado em 1981 na I Reunião Europeia de Serviço, embora sem continuidade. O princípio da auto-suficiência foi respeitado a partir de 1999.
Em simultâneo, dois membros de AA de Portugal foram convidados pelos Alcoólicos Anónimos de Espanha a participar regularmente como observadores na sua Conferência de Serviços Gerais, o que contribuiu grandemente para abrir perspectivas em termos do que viria em breve a ser a estrutura de Serviços de AA em Portugal. Este contacto deu também origem ao pedido formal de apadrinhamento de Espanha a Portugal.

1995
Em Outubro de 1995 e com o apadrinhamento de Alcoólicos Anónimos de Espanha, a Assembleia de Representantes deliberou converter-se numa Assembleia de Serviços Gerais, começando assim a ter uma estrutura comum e permanente de Serviços Gerais de Alcoólicos Anónimos em Portugal, adoptando um primeiro Regulamento e instituindo o Conselho de Serviços Gerais.

1997
Convictos dos benefícios da plena institucionalização de uma tal estrutura de serviços gerais, à luz e no respeito das Tradições de AA, bem como amadurecidos pela própria experiência e fortalecidos pelo exemplo seguido noutros países, os Representantes dos Serviços Gerais dos 45 Grupos de Alcoólicos Anónimos existentes em Portugal, reunidos em Assembleia em Colares no dia 5 de Outubro de 1997 decidiram instituir a Conferência de Serviços Gerais de Alcoólicos Anónimos de Portugal, assim procedendo à definitiva legalização da estrutura que serve a Comunidade de AA em Portugal, a qual se guia pelos princípios gerais constantes da Carta Constitutiva da Conferência de Serviços Gerais de Alcoólicos Anónimos de Portugal.

1999
De 30 de Abril a 2 de Maio de 1999 realizou-se em Colares a 1ª Conferência de Serviços Gerais de Alcoólicos Anónimos de Portugal, subordinada ao tema “Servir Unidos para Crescer”.


*Grupos de Amora, Amadora, Amoreiras, Corpo Santo e Santa Isabel.
**Integrando os Grupos de Braga, Ermesinde, Famalicão, Matosinhos, Porto, Póvoa do Varzim e Valadares.


Criar um Site Grátis   |   Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net